Treinamento em Circuito – emagrecimento e condicionamento

O treinamento em circuito vem sendo aplicado como uma forma de exercícios para melhoria da aptidão física geral e contribuir no emagrecimento. Estarei escrevendo alguns posts para esclarecer um pouco mais sobre este assunto. O treinamento em circuito é um método de treinamento que foi originalmente proposto para o desenvolvimento da resistência em atletas, mas se adaptado pode ser utilizado para melhorar a aptidão cardiorrespiratória em indivíduos não-atletas. Gettman et al (1978) e Wilmore et al (1978) encontraram aumentos significantes no VO2max após um período de 20 semanas de treinamento, portanto este método mostrou-se eficiente para melhoria da resistência cardiorrespiratória. Outros autores avaliaram as respostas fisiológicas agudas durante uma sessão de treinamento em circuito (Beckhan et al, 2000; Phillips et al, 2003 e Halton et al 1999).

A proposta para estruturação da sessão de treinamento é utilizar exercícios resistidos (aparelhos de musculação), onde a seleção dos exercícios segue uma alternância entre os segmentos corporais / grupamentos musculares (Ex: anterior coxa, peitoral, abdome, posterior da coxa, costas, etc). Como componentes da carga de treinamento, recomenda-se 10 a 20 repetiçoes e pausas curtas (15 a 60 segundos). Com a proliferação da prática da atividade física para o Fitness e Wellness, algumas novas propostas foram surgindo, exercícios resistidos com pesos livres e combinação de exercícios resistidos com exercícios gerais (Ex: corrida, bicicleta ergométrica).

Pensando em acelerar resultados para melhoria da aptidão cardiorrespiratória assim como para redução de peso, são mais eficientes os exercícios aeróbios intensos pois promovem um maior gasto energético por unidade de tempo em sua realização. Dentro deste contexto, realizamos um estudo comparando duas formas de treinamento em circuito, uma utilizando somente exercícios resistidos com a combinação entre exercícios resistidos e corrida em esteira.

O treinamento em circuito combinando o exercício resistido com a corrida em esteira causou um impacto sobre a intensidade, podendo ser classificada como vigorosa e moderada para homens e mulheres respectivamente. Quanto mais intenso o exercícios maior o gasto energético. As mulheres apresentaram um gasto energético de152 kcal para o citcuito com exercício resistido e 188kcal para  o circuito combinado para uma sessão de 30 minutos. Os homens apresentaram 220 kcal contra 249 kcal para a mesma duração. Portanto o treinamento em circuito pode ser uma estratégia a ser usada em um programa de emagrecimento e melhoria da aptidão cardiorrespiratória.

BECKHAM, S. G. & EARNEST, C. P. Metabolic cost of free weight circuit weight training. The Journal of Sports Medicine and Physical Fitness. 40: 118-25, 2000.

GETTMAN, LARRY R., JOHN J. AYRES, MICHEL L., POLLOCK, M.L. & JACKSON, A. The effect of circuit weight training on strength cardiorespiratory funetton, and body composition of adult men. Medicine and Science in Sport and Exercise. 10(3): 171-176, 1978.

HALTON, R.W.; KRAEMER, R.R.; SLOAN, R.A.; HEBERT, E.P.; FRANK, K. & TRYNIECKI, J.L. Circuit weight training and its effects on excess postexercise oxygen consumption. Medicine and Science in Sports and Exercise. 31(11): 1613-1618, 1999.

PHILLIPS, W.T. & ZIURAITIS, J.R. Energy cost of the ACSM single-set resistance training protocol. Journal of Strength and Conditioning Research. 17(2): 350-355, 2003.

WILMORE, J.H.; PARR, R.B.; WARD, P.; VODAK, P.; BARSTOW, T.J.; PIPES, T.V.; GRIMDITCH, G. & LESLIE, P. Energy cost circuit weight training. Medicine and Science in Sport and Exercise, 10(2): 75-78, 1978.

10 opiniões sobre “Treinamento em Circuito – emagrecimento e condicionamento”

  1. Sr. Leonel,

    O professor Arthur já tem trabalho demais para escrever coisas legais para a gente, agora, você escreve que precisa de ajuda… rs!

    Paga um personal e vai treinar!

  2. Olá prof.!
    No estudo em questão o sr. refere-se à diminuição de peso corporal em sinonímia com o emagrecimento? Bem, populacionalmente falando até pode ser, mas existem exceções!
    Outra coisa, o sr. se refere à maximização do dispêndio energético como um fator positivo para o emagrecimento. O emagrecimento, quando visto do dicionário, pode ser encarado como perda de peso, isso ou aquilo. Mas sabemos que a nível de SAÚDE não é assim. É válida a diminuição de GORDURA e não peso. Dessa mesma forma, é válida a utilização de gordura como substrato energético durante os exercícios e não o gasto energético total. Assim, não necessáriamente um exercício em intensidade elevada é máis benéfico para o dispêndio lipídico do que exercícios menos intensos, dada a influência de variáveis como o EPOC e, principalmente, desconsiderando os exercícios, o gasto energético durante as 24h.
    O maximização do EPOC é influênciada por volumes e intensidades aumentadas… Durante o mesmo a gordura é a principal fonte de energia. No entanto, mesmo que exercícios intensos favoreçam o aumento do gasto energético e EPOC, ele afeta negativamente o dispêndio lipídico durante o exercício… Assim, exerccios em intensidades de baixa a moderada são mais eficazes para o emagrecimento, em detrimento da magnitude do déficit de gordura como fonte energética.

    Lembremos e concideremos o EMAGRECIMENTO como diminuição de GORDURA corporal e não necessáriamente ENERGIA. O acúmulo de gordura pode levar as Co-morbimorbidades e mortalidade, NÂO o acúmulo energético.

    Aquela tão famosa BALAÇANÇA ENERGÉTICA que aprendemos na faculdade deve ser revista… Ela é baseada nas leis da termodinâmica e, em alguns estudos, já pode ser visto que essas leis merecem cuidado quanto à aplicação prática. Poxa, hoje já se sabe que uma caloria não é uma caloria rsrs…

    Vou parando por aqui. Se houver interesse de discutirmos isso melhor fique a vontade.

    Um abraço.

  3. Olá Fábio, agradeço o contato e as considerações. Quanto aos aspectos terminológios concordo com sua colocação, mas devemos entender que o site também é visualizado por pesoas leigas, e que termos mais populares são bem vindos. Quanto aos exercícios de baixa a moderada intensidade como citada pelo senhor, a mobilização da gordura é realmente maior. No entanto estudos mais recentes mostram que exercícios mais intensos foram mais eficientes para redução do % de gordura quando comparados aos exercícios de baixa intensiade. Portanto existe dúvida na sua afirmação que o exercício de baixa intensidade é mais eficiente para emagrecimento (redução de gordura). No âmbito prático, devemos ainda levar em consideração também uma série de fatores como tempo disponivel, nível de aptidão, etc. Gutin et al (2002) avaliaram os efeitos da intensidade do exercício sobre a composição corporal e a adiposidade visceral em adolescentes obesos.
    Os adolescentes foram divididos em dois grupos, intensidade moderada (IM) 55-60 %VO2max e intensidade alta (IA) 75-80%VO2max. A duração do exercício foi ajustada para realizar um gasto calórico de 250 Kcal/sessão. O treinamento foi realizado 5 dias/semana durante 8 meses. As alterações na composição corporal foram semelhantes entre alta e baixa intensidade.
    Além disso, o treinamento em circuito que é o assunto do post, mesmo com baixa intensidade não mobiliza gordura mesmo sendo realizado em baixa intensidade, pois os estudos realizados em nosso laboratório mostraram um QR próximo ou superior a 1. Portanto uma colocação sobre a maior mobilização e oxidação da gordura durante o exercícios para este post tem pouca ou nenhuma relação. Gostaria de registrar que todas as informações desritas no post são fundamentadas e discutidas na comunidade científica. Fazemos opções por tendências que acreditamos, mas pela forma colocada em cima de um conceito fechado segue a relação dos artigos para que tenha outra visão sobre o assunto:
    HUNTER, G.R.; WEINSIER, R.L.; BAMMAN, M.M. & LARSON, D.E. A role for high intensity exercise on energy balance and weight control. Int. J. Obes. Relat. Metab. 22(6): 489-493, 1998.
    MÄDER, U.; ROTH, P.; FURRER, R.; BRÊCHET, J.P. & BOUTELLIER, U. Influence of continuous and discontinuous training protocols on subcutaneous adipose tissue and plasma substrates. International Journal of Sport Medicine. 22: 344-349, 2001.
    MONTEIRO, A. G.; SHWARTZ, J.; MONTEIRO, G. A.; ALVENO, D. A.; PRADO, M. & PIÇARRO, I.C. Cardiorespiratory and metabolic response in the circuit training program, including running and weight training Medicine and Science in Sports and Exercise. Baltimore: Wilkins. 38, 2006.
    Monteiro, A G; Alveno, DA; Prado, M; Monteiro, GA; Ugrinowitsch, C; Aoki, MS Piçarro, IC. Acute physiological responses to different circuit training protocols. The Journal of sports medicine and physical fitness, 48 (4), p.438-442, Dec 2008.
    PALMER, G.S.; BORGHOUTS, L.B.; NOAKES, T.D. & HAWLEY, J.A. Metabolic and performance responses to constant-load vs. variable-intensity exercise in trained cyclists. Journal Applied Physiology. 87(3): 1186-1196, 1999.
    King, J,W. A Comparison of the Effects of Interval Training vs. Continuous Training on Weight Loss and Body Composition in Obese Pre-Menopausal Women. Dissertação de Mestrado. East Tennessee State University, 2001.
    Hunter et al. Int J Obes Relat Metab Disord. 1998 Jun;22(6):489-93.

  4. Fico feliz que tenha feito sua colocação… Concordo plenamente quando mencionou que o site, também, é visto por pessoas leigas. No entanto fiz minhas colocações porque estou estudando exatamente esse assunto. Em suma sei que o assunto em questão é bastante divergente e agradeço a atenção!
    Se possível, gostaria que postasse a referência bibliográfica do estudo que citou (GUTIN et al, 2002), pois não o achei, ou que me enviasse por e-mail se possível (fabio.rosseto@yahoo.com.br).
    Mas uma vez obrigado pela atenção.

  5. Uma observação: O estudo discutido no post tem como parte do tema: Emagrecimento. Apenas discordo com o que disse anteriormente (“uma colocação sobre a maior mobilização e oxidação da gordura durante o exercícios para este post tem pouca ou nenhuma relação.”). Eu considero que o emagrecer, é a diminuição de gordura e não necessáriamente peso. Dessa forma como a mobilização e oxidação lipídica não tem relevância se este é o objetivo???
    Outra observação: Seu estudo também fez uso de exercícios resistidos. No entanto, os resultados positivos que podem ser apresentados pelos exercícios resistidos frente à metabolização de gordura são dados à nível crônico e não agudo.
    Reporto minha citação anterior, na qual digo que o emagrecimento é dado em detrimento da diminuição de gordura e não gasto de energia ou peso corporal. Essas várias afetam o emagrecimento de forma indireta!
    Um estudo realizado por Kuo et al (2005) ao analisar variáves distintas obteve como resultado do gasto energético para as intencidades de 45 e 65% do VO2max os valores (kcal) de 1,015 com variação de 60,3 e 1,017 com variação de 73,3, respectivamente, considerando indivíduos do sexo masculino. O interessante é que mesmo a diferença não podendo apresentar significancia, os resultados reportados pelo mesmo grupo, nas mesmas intensidades, quanto à oxidação lipídica mostrou discrepancia nos achados. Os autores obtiveram os seguintes valores para os homens: 464 e 384 kcal, respectivamente para as intensidades de 45 e 65% do VO2max. Resultados semelhantes foram verificados nas mulheres. Isso mostra que a análise feita através da variável energética não é fidedigna. Outros estudos, como o de Henderson et al (2007) demonstram resultados semelhantes, no entanto o último realizou a análise através dos valores de RER.

    Não estou aqui pra me contrapor à vc, só gosto de discutir o assunto, e fico feliz pelo trabalho que desenvolve nesse site. Poderiam haver mais pessoas com sua atitude, inclusive eu.

    Segue as referências que citei:

    HENDERSON, G.C. et al. Lipolysis and fatty acid metabolism in men and women during the postexercise recovery period. J Physiol, v. 584, n. 3, p. 963-981, 2007.

    KUO, C.C. et al. Lipid oxidation in fit young adults during postexercise recovery. J Appl Physiol, v. 99, p. 349-356, 2005.

  6. Ola Boa noite.

    Professor, estou precisando dar uma aula, e falar sobre o assunto Circuito Treino, na Instuição Onde Trabalho. Se Voce puder me ajudar, estou precisando muito inteirar do assunto, a atividade que exerço e Militar. Desde ja agradeço , e espero poder contar com voce.

    Obrigado.

    Rogerio
    Ubedraba/MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>